29 (de Novembro) + 2 (anos teus) = 31 anos feitos!



No aniversário da mãezola as palavras foram as estrelas a dourar o dia, que até se pôs bonito depois da chuva que (como habitualmente) emoldura a ocasião...
Quando te fui buscar á cama, logo cedo, a primeira frase foi:
Mãii, canta o Paabéns! (que é como quem me dá os parabéns porque adormeceu e acordou a pensar nisso...)
E mãiii, um abaxinho! (abracinho) é um pedido a que nunca posso recusar e que me encanta...
E dois anos e uma energia inesgotável e uma tagarelice sem fim, e esta carinha laroca em pose de senhora feita. O meu bébé Xiipa (Filipa) é já pouco ou nada disso (excepção feita e que nos baralha para as chuchas, os biberons de leite e as fraldas) e assim me vou dando conta que os meus aniversários já pesam... que caminho cada vez menos na direcção da juventude e que não tarda a vida passou por mim.
Já não gosto tanto de fazer anos (mesmo sendo obrigada a aceitar o cliché do é bom sinal ir fazendo anos! que tanto me tira do sério... ora fazer anos por comparação com não os fazer de todo... óbvia escolha, não mais reconfortante por isso...). Ainda vais passar pela fase da adolescência em que um simples ano a mais faz a diferença... é bom ser mais velho, é bom fazer 16 e depois 18 e 20... para depois reflectires a vida aos 30 anos e a seguir começares a recear mais do que isso.
A idade é uma mera referência cultural, é certo. E não posso deixar de notar que é culturalmente que lhe sinto o peso. Mas e a culpa será dos aniversários? Ou da vida que escolhi e do rumo que lhe dei? Ou das escolhas que fiz ou das que deixei de fazer? Ou do fulano que inventou as horas e depois os calendários que as comprimem e lhes dão forma? Ou...
... ou tua, sua marota, que com tanta sabideza sabe olhar a mãezola de alto a baixo neste dia importante (depois de aperaltada) e dizer: ai, a mãiii tá tão gia! (gira) e tão depressa a fazer sentir velha (por já estares tão crescida) como estupidamente nova e bonita (pelo elogio espontâneo), com aquele tipo de beleza que só se tem na juventude!

4 comentários:

Paula disse...

Muitos, muitos, muitos parabéns à Mãezola!
Aposto que a prenda que mais gostaste foi esse "abaxinho" da Pipoca, seguido desse elogio "a mãe tá tão gia"!!
E, claro está, Pipoca, tu também estás linda!!!
Beijinhos

gisela disse...

acordar com os parabéns assim, seguidos de um abraço é de derreter qualquer um. Duvido que tenhas tido melhor prenda.
Parabens

Carla disse...

ah! afinal só fizeste 31 anos!

Houve o que a voz da razão (a da tua filha) te diz :)

Anónimo disse...

Ai ai ai!!!... o peso da idade como pesa na cabeça!!!! Tem juízo, são só 31!!!!