Os Fins De Semana Voadores...




O fim de semana não passa por nós, voa tipo falcão em perseguição da presa... hihihi! Gostáste da metáfora? Muito National Geografic... Eheheh! Vem a proposito do primeiro comentário deste post: ontem fomos, na querida companhia da tia Mó, dar um passeio no jardim do nosso bairro. Um belo e simpático jardim, por sinal... Quero que saibas que o nosso bairro está situado numa zona de interesse histórico e arqueológico porque perto do dito jardim existe uma anta (monumento megalítico da pré-história do tipo dólmen com corredor, datado de 3000 a.C., situado na Quinta do Carrascal (Bairro da Anta), em Agualva. Trata-se de Monumento Nacional classificado pelo IPPAR, def. in Wikipedia)! Chique, não achas? Eheheh! O jardim estava cheio de gente, entre miúdos e graúdos, e a tarde estava muito soalheira, apesar de um ventito frio a atormentar a sombra...


Sabes? Dei-me conta que nunca tínhamos feito isto, o que me deixou aprensiva. De facto, os fins-de -semana passam a correr e, até agora, anoitecia sempre muito cedo ou então chovia, ou estava muito frio ou vento... O que é certo, é que mesmo desculpando-me com tudo isto, a verdade é que fico um bocadinho ansiosa. O tempo passa a correr e há tanta coisa que eu sei que deveria fazer agora contigo, como estes passeios ao ar livre, ler-te uma breve história ao deitar, ouvir música na tua companhia. Mas o tempo nunca chega para tudo e lá vou adiando para outro dia todas as coisas que gostava de fazer... e depois vem a angústia de pensar que tudo tem um tempo certo, que ele é irreversível, que nunca mais vais ter 6 meses outra vez, que tenho medo de me revelar como estes pais (que vejo aqui no colégio) que nunca têm disponibilidade para os filhos e estão sempre com pressa...


No outro dia, ía a subir as escadas do metro, em Entrecampos, e pus-me a reparar numa mãe que levava pela mão uma criança que não devia ter mais do que uns dois anitos, a correr escada acima, o garoto aflito para acompanhar o passo da mãe, levantado pelo ar a cada lance de duas ou três escadas, porque falhava os degraus... que correia, meu deus, para quê? Para chegar 10 m mais cedo a casa? Para depois, dar na mesma o banho a correr, enfiar-lhe o jantar pela goela abaixo ou apressá-lo enquanto come, para o deitar logo a seguir com um rápido beijo de boa noite ou deixá-lo a emburrecer em frente ao televisor até desmaiar de sono no sofá?


A verdade é que, principalmente, ao domingo à noite não posso deixar de sentir uma pequena frustração porque, mais uma vez ficaram montes de coisas por fazer... é curioso como à sexta-feira somos capazes de imaginar possíveis tantos programas e planos diferentes!


De qualquer das maneiras, esforço-me muito para cumprir princípios dos quais não abdico: os teus banhos são sempre nas calmas; nunca te mudo fraldas ou troco roupa a correr (aproveito sempre para te beijar a barriguita e esses teus pezitos deliciosos e fazer-te cócegas para ouvir as tuas maravilhosas gargalhadas!); todos os dias de manhã há sempre tempo para umas beijocas; sempre que pedes colo damos-te colo (mesmo que, por causa disso, o raio do cesto da roupa para passar continue a parecer o Empire State Building...); não há pressões para te deitar (quando não queres dormir podes sempre ficar conosco na espreguiçadeira - se estivermos a jantar - ou no colo - se estivermos na sala a ver televisão e a descansar - até que o João Pestana chegue para brincar contigo no Vale Encantado dos Lençóis! E estou ansiosa para ter a carta de condução para poder chegar a casa mais cedo... sinto falta de uma horita para brincarmos as duas antes das rotinas do banho, jantar e cama. Estou contigo em casa da avó Benilde mas não é a mesma coisa... falta-nos o teu quartinho e os teus brinquedos para brincar!
E hoje ainda é só segunda-feira... snif...
P.S.: e ontem, lá no jardim, enfeitiçáste o teu primeiro coraçãozito, ehehehe, um menino que devia ter uns 3 anitos e que te deu um repenicado beijo na bochecha!!! Hihihi! Sua marota linda...

1 comentário:

disse...

A Tia Mó delirou com o passeio!!! A tua curiosidade em ver os meninos a brincar, o beijinho daquele baybe que engraçou contigo, a atenção com que escutavas o que eu e a tua mãe conversávamos, e como te rias dos disparates que esta tua tia maluca estava a dizer. São estes momentos que dão sentido ao proverbio: Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje!!!
Um beijinho bem na orelhinha!!