E quanto pesa a tristeza, Doutor?


Eu ainda não acredito que voltámos ao mesmo... o problema do teu peso. Ontem, na consulta do Dr. Velho nem falámos de mais nada. Ele esteve a medir-te, a auscultar-te, a observar-te os ouvidinhos e estava tudo bem. Comentou logo que o teu desenvolvimento psico-motor é excelente, não podias estar mais desenvolvida! Mas isso já não é novidade para nós. Tal como ele disse, existem muitos bébés com 9 meses que nem tão pouco se sentam sem apoio, quanto mais estando deitados conseguirem sentar-se ou dar passinhos quando segurados pelas mãozitas! Mas... a balança é sempre o pior inimigo do meu sossego, por mais que tente descontrair no momento da pesagem. E, desta vez, nem o Dr. Velho me tranquilizou com o seu habitual comentário «Ela é mignon!». Resultado: temos 15 dias para te engordar pelo menos 150g... depois temos de ligar ao Dr. Velho para ele decidir se vai pedir uma avaliação.
Caramba, será que não passamos disto desde que nasceste??? É que é um bocado assustador pensar que não ganhas peso e a causa não é óbvia... tu comes bem, sem problemas, nem sequer és esquisita com os alimentos, várias vezes ao dia e nas quantidades certas. O Dr. Velho dizia: «Se calhar era de pôr mais batata na sopa...» ao que respondi « mas eu já ponho 3 batatas médias!» (e nem referi que costumo pôr também o equivalente a uma pequena de batata doce!) e ele concordou que chegava, não podia pôr mais que isso... Fazes 6 refeições por dia. O que mais podemos pedir de um bébé de 9 meses?! Sim, vamos experimentar voltar á papa ao jantar... o Dr. Velho disse para apostarmos nas papas...
Sinto-me desmoralizada e impotente... acho que não vais engordar o exigido porque não acredito que a papa ao jantar (mesmo sendo farinha) vá trazer nada de novo. Além do mais, independentemente do que possas pensar de mim, eu, no fundo, espero que não ganhes as gramas esperadas pelo Dr. Velho nos tais 15 dias. Acho que preferia que te fizessem analises, testes, sei lá, qualquer coisa que pudesse despistar de uma vez por todas qualquer eventual problema. Olho para ti e não te acho magra. Acho-te pequena, sim, mas relativamente rechonchuda de pernas, de carinha miudinha mas bochechuda. Acho-te demasiado activa, talvez. Talvez por essa razão não ganhes o peso esperado. Sais a mim. E és magra. Sais ao teu paizola.
Olha, não sei. Não sei o que pensar. Os dias de incerteza e de alguma frustração que vivi quando tive de deixar de te amamentar exclusivamente voltaram. As esperanças que depositei no meu leite agora depositava nas sopas e na papa e no pão e nos iogurtes... Hum... a mim o que me interessa é que és feliz e activa (apesar de me apetecer dizer que és demasiado activa... também não era necessário despenderes tanta energia!!!). E só queria que parassem de nos aborrecer com isto do peso. E não queria submeter-te a exames, tenho vontade de chorar só de pensar nisso (aquela semana de procedimentos médicos na maternidade quando nasceste ainda me deixa nervosa, não quero repetir) . Mas queria arrumar este assunto de uma vez por todas.
E queria poder estar contigo agora.
E queria não ter escrito este post.




2 comentários:

Anónimo disse...

Oh miguita tens de ter calma...
Assim é que não vais a lado nenhum...
Tudo se revolve!Até pode ser mesmo dela não engordar...(k sorte!!!)
A minha sobrinha tb sp foi magrita...
Boa sorte pá tarefa desesperante!
Ah, como vão as aulas de condução?
jokas
grilinha

Tia Mó disse...

Cheira-me que isso vai lá a papar uns gelados a meias com a tia Mó, não é bébé?
Adoro-vos daqui até ao monte mais alto da lua!!!