Feliz Aniversário, Pipoca... Parabéns aos paizolas!


Digo muitas vezes que o tempo passou a correr. Mas não é verdade. Foi tudo vivido tão intensamente que, pura e simplesmente, o tempo destes 12 meses cristalizou. É como tudo o resto na nossa vida: os dias chatos e cinzentos de trabalho, por exemplo, parecem intermináveis; já os dias de sol, de férias, de diversão e alegria parecem escorregar por entre os dedos como areia da praia quando abrimos a mão... No sábado, já depois de dormires e de todo o mundo ter saído, senti um vazio estranho. Uma espécie de sensação de missão cumprida, como se tudo se tivesse resumido a este teu primeiro ano de vida e, agora, tivesse terminado. Disparate. 12 meses não são diferentes de 13 meses ou de 13 anos de vida. És cada vez menos um bébé, é certo, mais criança a cada dia que passa, mas mais A minha filha, O meu sonho, O meu projecto pessoal, A razão mais forte pela qual vivo e respiro.
Descobri algo empolgante. Descobri que, afinal, estar permanente e perdidamente apaixonada pela vida não é apenas um privilégio da adolescência. Na idade adulta, quando já nada parecia ser vivido assim, e as paixões e sonhos cegos e desmedidos foram substituidos pela maturidade e pelas certezas próprias de quem cresceu, descobri que ser mãe é viver para sempre apaixonada. E, por certo, quem é mãe ou pai concordará comigo. Sei que este sentimento não é um privilégio só meu. Sei que tu não és diferente dos outros meninos. Não és mais especial. E ainda bem. Porque todos os outros merecem ser amados como eu e o teu paizola te amamos. Incondicionalmente.
Os meus desejos para este teu primeiro aniversário? Saúde. Depois, saúde. A seguir saúde. E só por fim alegria, afecto e boa disposição.
Tudo o resto é certo e menos importante.
Feliz Aniversário, meu amor.

2 comentários:

disse...

Pois eu jamais me irei esquecer do dia em que recebi a notícia que tu vinhas a caminho!! A emoção que senti ao saber que a minha melhor amiga, a irmã que eu adoptei para mim ía viver uma das fazes mais bonitas e gratificantes da sua vida... sim pardaleca, porque na vida vais aprender que existe a família com quem nascemos e a família que escolhemos!! E que uma é tão importante quanto a outra!!
Um beijinho muito, muito grande!!

Eli Gee disse...

Oh, tia, amiga e IRMÃ Mó!

E que bem nos escolhemos uma á outra!

Obrigada por existires na nossa vida! Que feliz que fico por poder partilhar-te com a minha filhota!

Beijinhos para ti e para o tio Jota (que pena que quase não deu para trocar umas "ideias" com ele! Soube a pouco, por isso temos mesmo de combinar um dia mais calminho!)!